Como escolher o piso para casa de acordo com o cômodo?

Como escolher o piso para casa de acordo com o cômodo?

A escolha do piso para cada ambiente é de grande importância em construções e reformas. Para escolher uma boa opção, é preciso considerar não apenas o aspecto estético da peça, mas também outros fatores relacionados ao tipo de cômodo a que se destina o material.

Antes de partir em busca da melhor solução, é importante identificar que tipo de piso é o ideal para aquele ambiente. Quais são as características do cômodo onde o piso será colocado? No caso de banheiros, será que o espaço tem muito contato com a umidade? E quanto às áreas de grande circulação na casa?

Essas reflexões são fundamentais no momento da escolha — até porque nem sempre o projeto precisa ter o mesmo piso em todos os cômodos. Quer entender como isso funciona? Então acompanhe nossas dicas e inspire-se!

O que levar em conta para a escolha do piso?

Não há dúvidas de que a escolha dos acabamentos faz uma enorme diferença no resultado final da obra. Isso significa que, se você fizer uma escolha errada, poderá colocar tudo a perder no seu projeto de interiores.

Por isso, na hora da compra, não dá para considerar apenas a estética do piso. É imprescindível levar em conta outros fatores que são decisivos para o acabamento perfeito, como o clima da região, o estilo de décor do ambiente, a funcionalidade do cômodo, o fluxo de circulação na área, o contato com a umidade etc.

Ao longo do post, você entenderá melhor cada uma dessas questões. A princípio, vamos destacar uma delas: o grau de resistência dos pisos ou demais revestimentos cerâmicos, elaborado conforme a intensidade do fluxo de circulação no ambiente.

Para medir esse grau, foi criada uma tabela específica, denominada PEI (Porcelain Enamel Institute). Funciona assim: quanto maior o número da especificação do piso, mais resistente será a peça e, consequentemente, ela será mais recomendada para áreas de fluxo intenso. Confira os detalhes:

  • PEI 0: recomendado somente para paredes, pois o nível de resistência mecânica e abrasiva é muito baixo;
  • PEI 1: recomendado para áreas de pouco fluxo, como quartos ou banheiros sem saída externa. A resistência é baixa;
  • PEI 2: recomendado para áreas com fluxo moderado de pessoas, com exceção de cozinhas, escadas e entradas. A resistência é média;
  • PEI 3: pode ser utilizado em todas as dependências residenciais sem saídas externas, inclusive em terraços. A resistência está entre média e alta;
  • PEI 4: pode ser utilizado em todas as dependências residenciais e pequenas salas comerciais com fluxo moderado de pessoas. A resistência é alta;
  • PEI 5: pode ser utilizado em todas as dependências residenciais, comerciais e industriais com fluxo intenso de pessoas. A resistência é muito alta.

Quais as opções de piso para a sala?

Dependendo da atmosfera que você quer para a sua sala, a escolha do piso será crucial. Para ajudá-lo nessa tarefa, veja, a seguir, os tipos de piso mais utilizados nesse cômodo e escolha o melhor para o seu projeto:

Piso vinílico

Conhecido pela resistência e pelo conforto térmico que proporciona, o piso vinílico é uma das melhores opções de pisos para salas — living, jantar ou home. Esse tipo de piso mantém o ambiente agradável, adaptando-se ao clima local, seja mais quente, seja mais frio. Ele é ecologicamente correto, tem o toque macio, e sua aplicação é flexível.

Outra vantagem dos pisos vinílicos é que eles não apresentam uma superfície porosa, fator que impede o acúmulo de bactérias e fungos. Isso faz com que a limpeza seja bem mais simples e prática do que nos outros tipos. Ele também é bastante resistente à água, aos riscos, às manchas e aos cupins, além de não deformar com facilidade.

Para conservar bem esse tipo de piso, basta usar uma vassoura macia e um pano úmido com água e detergente neutro. Esse processo vai retirar toda a poeira e a gordura da superfície sem comprometer a película protetora do piso ou descolorir o vinil.

Piso acetinado

Esse tipo de piso para casa é ideal para quem não quer muito brilho no ambiente. Apresenta um acabamento mais opaco, o que pode ser uma vantagem, visto que evita o cansaço visual, sobretudo, se você optar por padronagens mais neutras e discretas.

O piso acetinado torna o ambiente mais acolhedor e é bastante indicado para as áreas de convívio social da casa, como living e sala de jantar. Isso porque, devido ao seu acabamento minimalista, a opção pelo revestimento acetinado facilita a escolha dos demais itens do décor, contribuindo para um ambiente harmonioso e livre de excessos.

Piso laminado

Aconchegante e de rápida instalação, o piso laminado é revestido por uma lâmina melamínica que remete à madeira, porém, de custo inferior. A desvantagem fica por conta de ser menos resistente e não poder ser aplicado em locais úmidos.

Mas não precisa se desesperar! Essa restrição está relacionada a não molhar o piso por completo ou com frequência. O simples ato de caminhar com os pés molhados ou derrubar um copo de água acidentalmente não estragará a peça.

Quanto às vantagens, os pisos laminados são antialérgicos. Isso os torna uma ótima alternativa para o quarto das crianças, por exemplo. A instalação também é vantajosa, pois gera menos entulho e demanda pouca mão de obra.

Outra grande vantagem dessa escolha é que os pisos laminados também são muito práticos para limpar: basta passar um pano levemente embebido em detergente neutro por todo o revestimento e pronto!

No entanto, tenha atenção às ceras e polidores. Caso opte por utilizar esses materiais durante a limpeza, esteja atento às indicações do fabricante, pois, ao longo do tempo, esse tipo de produto poderá formar uma camada oleosa sobre os laminados.

Para quem não abre mão do clima acolhedor, com certeza, os laminados serão uma excelente escolha, visto que apresentam ótimo conforto acústico e térmico. Ou seja, são capazes de controlar os ruídos que vêm da rua e, ao mesmo tempo, contribuem para manter o chão em uma temperatura agradável.

Vale ressaltar, ainda, que a escolha de laminados em tons claros favorece as sensações de amplitude no ambiente. A distribuição das lâminas também é outro fator preponderante nesse quesito. Isso porque, quanto mais estreitas forem as lâminas, mais elas destacarão o tamanho do cômodo, fazendo-o parecer consideravelmente mais amplo.

Qual a melhor escolha para a cozinha?

Muitos ainda têm dúvidas sobre que tipo de piso é ideal para cozinhas. A decisão deve ser baseada na frequência com que se cozinha; na alta resistência do piso; e na verificação de lavabilidade do material — outra exigência desse cômodo.

Em se tratando de cozinhas, a opção por cerâmicas ou porcelanatos é sempre bem-vinda. O maior benefício dessa escolha é, sem dúvida, a combinação requinte + resistência + praticidade. Isso porque, por apresentarem dimensões extensas, essas peças valorizam o design de interiores, favorecendo as sensações de amplitude e leveza.

Inclusive, se a ideia do projeto for justamente favorecer o tamanho do ambiente, uma boa dica é evitar assentar as peças na diagonal, pois isso diminuiria sensorialmente o espaço e aumentaria a perda de piso nos recortes.

Cerâmicas e porcelanatos são ideais também para as demais áreas molháveis da casa, como jardins, varandas e piscinas, já que não absorvem água. Além disso, seus rejuntes finos impedem o acúmulo de sujeira na superfície.

Qual o piso ideal para o banheiro?

Para escolher o piso correto para seu banheiro, leve em consideração que os pisos claros criam uma sensação de amplitude, sendo bastante recomendados para esses cômodos tendencialmente menores. Quanto à estética da peça, as cerâmicas, as pastilhas e os porcelanatos sempre apresentam bons resultados.

Caso você opte por uma cerâmica ou porcelanato, é preciso avaliar se o piso é resistente e verificar qual é o seu acabamento — se é polido e se não é escorregadio —, uma vez que isso poderia ocasionar acidentes, principalmente se houver idosos ou crianças na casa. Nesse sentido, uma boa sugestão é preferir peças esmaltadas, que são menos porosas. Para a área do box, escolha modelos antiderrapantes.

Em relação às cores, os tons neutros costumam encabeçar a lista das preferências. Entretanto, não devemos subestimar os modelos de tonalidade escura, pois eles contribuem para a composição de um design mais moderno. Além disso, as peças em padronagens escuras ajudam a disfarçar eventuais sujeiras no cômodo, como fios de cabelo pelo chão.

E atenção: nunca use pisos de madeira no banheiro, pois esse tipo de material não é o adequado para lidar com a umidade diária do local. E, se você optar por um piso antiderrapante, é preciso estar ciente de que são excelentes para prevenir acidentes, porém, apresentam menor praticidade na hora da limpeza.

Quais os diferentes pisos para quartos?

Os quartos são ambientes que devem ser mais confortáveis e, ao mesmo tempo, mais quentes do que os outros, ou seja, mais acolhedores. Dessa forma, os pisos ideais para deixar o cômodo mais aconchegante são os assoalhos de madeira, os pisos vinílicos e o laminado.

Dentre esses três tipos de piso, os assoalhos amadeirados são os mais utilizados em construções e reformas de quartos, já que a madeira é um material aconchegante por natureza. Dentre os principais tipos, os revestimentos de taco e parquê estão entre os mais indicados, pois são materiais nobres e de origem natural.

Taco

O taco é composto por placas de madeira nativa em tamanhos variados. Sua grande vantagem é que ele pode ser instalado sobre outros pisos, como pedras ou cerâmicas.

Os tacos estão disponíveis no mercado também em vários formatos, sendo estes os modelos mais comuns: convencional, paralelo, dama, escama-de-peixe e espinha-de-peixe. Nesses casos, apenas atente quanto à instalação, pois parte do material poderá ser perdida com os cortes por conta dos desenhos.

Parquê

Já o parquê é diferente do taco por causa da medida, configurando-se como uma placa formada por quatro peças unidas. Nesse caso, a instalação é um pouco mais complexa: a face superior das placas vem coberta por uma camada de papel, enquanto a face inferior fica em contato com a cola, previamente espalhada no contrapiso bem nivelado e devidamente impermeabilizado. Cerca de dez dias após a colocação, retira-se a camada de papel para finalizar o acabamento.

Carpete de madeira

Se a intenção for economizar, existe ainda a alternativa do carpete de madeira, que se assemelha muito ao piso laminado. Porém, com uma diferença ímpar: a contracapa, o miolo e a lâmina do carpete amadeirado são de madeira natural. Além disso, esse tipo de piso recebe verniz para melhor acabamento.

Agora que você já leu nossas dicas de piso para cada ambiente, basta escolher o revestimento ideal para os cômodos do seu projeto e decidir qual o modelo se adequará melhor às suas necessidades e preferências.

Assine nossa newsletter e receba outros conteúdos exclusivos para acertar em cheio na escolha dos revestimentos!

Reforma do Lar: Guia para a escolha do piso perfeito para cada ambient

 

 

 

Comments (2)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This