4 cuidados com o piso para quem tem animais de estimação em casa

Não há dúvidas de que ter bichos de estimação em casa traz muito mais alegria para o lar. Por outro lado, para quem cria os pets no interior da residência, a atenção com as instalações deve ser redobrada, principalmente os cuidados com o piso. Para início de conversa, é preciso ter em mente que o piso escolhido deve ser adequado para os animais.

Além da segurança do pet, acertar nessa escolha também tem tudo a ver com a vida útil do revestimento. Afinal, por mais que você ame o seu gato ou cachorro, não vai querer que os arranhões do pet estraguem o piso da casa, certo?

Então, fique ligado neste post e aprenda os 4 cuidados necessários para preservar a beleza e a durabilidade do revestimento, mesmo com animais dentro de casa. Vamos lá!

1. Instale pisos adequados para pets

Porcelanatos, cerâmicas e vinílicos sempre serão boas opções quando o assunto é piso para pet. Isso se deve, sobretudo, ao grau de resistência, ao conforto térmico e à facilidade de limpeza dessas peças, especialmente os dois primeiros, que são laváveis.

Os pisos vinílicos, por sua vez, ficam muito bem limpos com o auxílio de um pano embebido em água e detergente neutro. Outra grande vantagem desse revestimento para quem tem pets em casa está no fato de serem antiderrapantes, conforme o modelo escolhido.

Porcelanatos e cerâmicas também têm versões antiderrapantes para prevenir escorregões. Contudo, podem ficar um pouco escorregadios enquanto estiverem molhados.

Via de regra, o que você precisa ter em mente na escolha é que o piso adequado para os pets jamais poderá ser muito liso. Caso contrário, o animal terá mais dificuldade para se equilibrar, o que pode, inclusive, causar problemas nas articulações.

Vale lembrar, ainda, que porcelanatos, cerâmicas e vinílicos apresentam grau de absorção quase nulo. O que isso significa? Se o seu bichinho fizer xixi no lugar errado, por exemplo, a chance de o piso ficar manchado é praticamente zero.

Quanto aos pisos de madeira, apesar de serem o suprassumo do aconchego, eles não são tão recomendados para quem tem animais dentro de casa. No entanto, se você não quiser abrir mão dessa opção, escolha uma versão mais resistente para prevenir eventuais arranhões. Além disso, saiba que os cuidados de manutenção — como impermeabilização e polimento — deverão ser mais constantes.

Revestimentos porosos, como o mármore ou pedras naturais, também não são recomendados para quem cria os pets dentro do lar, pois esses materiais mancham com mais facilidade. Porém, protegê-los com tapetes laváveis ou do tipo EVA é sempre uma alternativa prática e eficiente.

2. Utilize o bocal macio do aspirador de pó

Quem tem animal de estimação em casa já sabe: o aspirador de pó é o maior aliado! É certo que o aspirador sozinho não o exime de fazer uma faxina completa regularmente. Mas, para a limpeza diária, esse eletrodoméstico dá conta do recado com rapidez e praticidade.

Contudo, é preciso estar muito atento na hora de utilizar o item, pois, se usado de forma incorreta, ele também pode causar danos aos pisos. O ideal, portanto, é fazer a aspiração com um equipamento de bocal liso e macio. Para reduzir ainda mais a chance de o aspirador riscar o piso, experimente colocar uma fronha de algodão no bocal antes da operação. É tiro e queda!

3. Faça a limpeza corretamente

Não há como negar: os animais soltam pelos, sobretudo, se estiverem em fase de troca de pelagem. Sendo assim, quem cria os pets dentro de casa precisa ter um cronograma de limpeza mais regular.

Se o piso não for lavável, aposte na dupla infalível: água + detergente neutro. Comece aspirando ou varrendo o chão — com uma vassoura macia — para retirar qualquer sujeira que possa riscá-lo. Em seguida, passe um pano embebido em água e detergente para retirar toda a poeira e gordura do revestimento. Aí, é só finalizar com um pano limpo, seco e que não solte fiapos.

E lembre-se: quanto maior for a frequência que você utilizar o aspirador, menor será a quantidade de pelos espalhados na casa no dia da faxina, o que facilita muito a limpeza doméstica! Outro truque para retirar aqueles pelos que insistem em ficar no sofá é utilizar uma luva de borracha, já que eles aderem mais facilmente à borracha do que ao pano úmido.

4. Limpe os detritos o mais rápido possível

O pet fez xixi ou cocô no lugar errado? Entornou o potinho de água sobre o piso ou deixou qualquer outro tipo de sujeira por ali? Então, corra e limpe o mais rápido possível. Ou seja, nunca deixe a sujeira secar naturalmente. Afinal, por mais resistente que seja o seu piso, quanto mais rápido você limpá-lo, menor a chance de ele ficar manchado ou com odores indesejáveis.

No caso dos acidentes descritos acima, o melhor a fazer é utilizar um papel toalha para absorver o excesso de líquido e, em seguida, lavar o local ou desinfetá-lo com o auxílio de um pano úmido. Para finalizar, basta secar a área com um pano limpo e macio.

Os aromatizantes de ambiente também podem ser úteis para eliminar resquícios de odores. No entanto, utilize-os com parcimônia, já que algumas formulações são muito fortes e poderão causar danos ao animal.

Além desses cuidados básicos, existem outras dicas certeiras para facilitar a rotina de quem mora com os pets. A primeira delas é mantê-los sempre escovados. Se possível, escove-os diariamente. Essa prática diminuirá, de forma considerável, a quantidade de pelos que se espalham pela casa.

A segunda dica também é muito válida, mas requer um pouco mais de paciência: treinar os bichos para sempre fazerem as necessidades nos locais adequados. Se você tem um gato, essa tarefa pode até ser mais fácil, por conta da caixa de areia.

Mas, no caso dos cachorros, saiba que, eventualmente, o animal poderá urinar ou defecar sobre o piso. Por isso, é preciso estar sempre disposto a ensiná-lo o caminho do local específico para as necessidades. Assim, naturalmente, isso se tornará um hábito para ele.

Viu só? Se você estava receoso de criar seu bichinho dentro de casa por causa dos acabamentos, não precisa mais se preocupar. Basta estar atento a esses básicos cuidados com o piso, proteger os locais perigosos da casa e pronto! Aí, é só curtir o pet em família.

Se você gostou da ideia, aproveite e leia nosso outro post com todos os detalhes sobre as 4 opções de piso mais indicadas para quem tem animais de estimação!

 

Reforma do Lar: Guia para a escolha do piso perfeito para cada ambient

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Share This