E agora, como combinar o rodapé e a guarnição da porta E agora, como combinar o rodapé e a guarnição da porta

E agora, como combinar o rodapé e a guarnição da porta?

7 minutos para ler

Você sabia que rodapé e guarnição também fazem parte da decoração da porta? Até bem pouco tempo, suas funções eram de meros acabamentos: detalhes que, muitas vezes, passavam despercebidos.

Hoje em dia, o que não faltam são materiais, modelos, tamanhos e desenhos diferentes, que devem conversar com o restante do ambiente. Mas não se preocupe!

Se você não souber como fazer a escolha dentre tantas opções, anote todas as dicas que vamos dar para facilitar sua compra — sem aumentar o tempo ou o valor da obra — e deixe seu lar com a sua cara!

Para que servem o rodapé e a guarnição da porta?

rodapé, ou alizar, é usado principalmente para proteger a parede e a pintura de batidas e riscos que podem ser causados por materiais de limpeza — como esfregões, vassouras e aspiradores de pó. Com o tempo, a estética passou a falar mais alto!

Quem acompanha o rodapé é a guarnição, nada mais do que a moldura da porta, que serve para esconder a união do batente com a parede, melhorando o acabamento.

Ela também passou a ser uma das principais peças de decoração, devendo sempre conversar com o alizar, mesmo que os materiais e os tamanhos sejam diferentes.

Como definir os materiais da dupla?

Apesar de não ser necessário utilizar o mesmo material para os dois itens, é importante entender o cômodo. Em áreas externas, dê preferência para cerâmica, pedra ou porcelanato específico. Em ambientes internos, a melhor escolha é a madeira.

O mais importante é criar um conjunto harmônico, que pode tanto ser a estrela da decoração quanto prezar pela discrição e, assim, apenas complementar as demais escolhas.

Inclusive, se a intenção é seguir uma linha mais discreta e uniforme, recomenda-se utilizar rodapés e guarnições de mesma cor e material, dando preferência às cores claras — como uma guarnição branca com rodapé em porcelanato claro.

Já para quem prefere um design mais moderno, os rodapés de alumínio estão com tudo no mercado. A seguir, listamos as características dos principais tipos de rodapé:

Alumínio

Leves, resistentes e econômicos, os rodapés de alumínio chegaram para renovar o mercado, oferecendo um design mais clean e moderno para sua casa. O efeito visual da instalação desse tipo de rodapé é incrível: as paredes parecem ficar descoladas do chão, como se fossem flutuantes.

Porcelanato

Essa opção de rodapé é bastante resistente à umidade e pode ser cortada em alturas vaiáveis, conforme a intenção do projeto. Caso você for utilizar o mesmo porcelanato do revestimento do piso, priorize as laterais da peça, já que o centro tende a apresentar uma tonalidade diferente.

Granito ou mármore

Rodapés compostos de pedras naturais, como o granito ou o mármore, são bastante resistentes e também podem ser cortados em alturas variáveis. Por se tratarem de materiais nobres, é comum que possuam valor mais elevado em relação aos outros modelos.

Madeira

Essa é uma opção de rodapé muito convencional e de custo mais acessível, mas não por isso deixa de oferecer beleza e charme à composição. Porém, existe uma ressalva: rodapés amadeirados devem ser pintados e estão mais sujeitos aos danos decorrentes da umidade e da ação de cupins.

Poliestireno

Rodapés fabricados em poliestireno são alternativas modernas e práticas para o acabamento dos ambientes. Podem ser molhados, pois apresentam boa resistência à umidade, e também variar conforme a textura ou pintura.

Qual é o melhor tamanho para cada item?

Não é necessário que o rodapé e a guarnição tenham o mesmo tamanho, portanto, você pode escolher de acordo com a metragem do próprio cômodo, para que não fique desproporcional. A moldura da porta tende a comandar a medida, pois é mais discreta e costuma ter entre 5 e 10 cm — enquanto o alizar é mais flexível.

Para você ter uma ideia da altura e da tonalidade em relação ao design de interiores, saiba que os rodapés brancos com altura média entre 7 e 10 cm são os grandes curingas para qualquer tipo de projeto.

No entanto, as peças mais altas — com até 30 cm de altura — vêm ganhando lugar de destaque em projetos de interiores mais modernos e ousados, principalmente para banheiros e lavabos.

Esse destaque se deve ao fato de que os rodapés mais altos alongam sensorialmente o cômodo, fazendo com que ele pareça maior e mais leve, sobretudo quando em tonalidades mais claras.

Como fazer a instalação adequada?

Apesar de a junção da guarnição e do rodapé parecer despretensiosa, um simples erro no momento da instalação pode causar um resultado visual terrível. Por isso, é fundamental ter muito cuidado com o acabamento na hora da instalação.

Para isso, considere que a guarnição deve chegar até o piso e nunca parar em cima do rodapé. Já este último precisa parar onde a moldura começar. Outro erro comum é unir os elementos em meia-esquadria (ângulo de 90°), pois esse corte só é permitido na parte superior!

A seguir, você confere as principais dicas para não errar na instalação:

  • para um acabamento perfeito, as paredes não podem apresentar sinais de umidade ou infiltração;
  • é necessário muito cuidado com o corte, já que a união das duas peças deve ser feita preferencialmente com acabamentos retos, para evitar falha nos encaixes;
  • para melhor fixação de rodapés e guarnições, utilize cola específica e pregos de aço sem cabeça.

Como escolher a textura?

É possível separar texturas e desenhos diferentes para rodapé e guarnição. O truque é que eles tenham as mesmas linhas ou os mesmos temas, para evitar um desacordo entre as peças.

Se a sua sala é mais rústica, aposte nesse segmento. Mas se o ambiente for mais moderno, frisos retos podem ser mais interessantes. O importante mesmo é não carregar o ambiente com peças muito contrastantes entre si.

Outra aposta inusitada é deixar as paredes brancas e destacar o rodapé com cores fortes — como amarelo, vermelho, verde e azul. Nesse caso, sempre leve em conta as demais peças de decoração para que tudo dialogue harmoniosamente entre si.

E o sócalo e a roseta?

Para finalizar, falaremos desses dois tipos de acabamentos que também podem ser utilizados na composição de portas. O sócalo é instalado entre o final do rodapé e o começo do alizar, conferindo um acabamento mais detalhado e requintado.

Já a roseta é indicada para a parte superior da porta, onde faz a junção entre a guarnição superior e a lateral, favorecendo uma decoração mais clássica e tradicional. Novamente, a escolha dessas peças vai depender do estilo de decoração que você quer dar ao ambiente.

Sua reforma tem de ser prazerosa e econômica para que o seu lar fique do jeitinho dos seus sonhos. Agora que você viu que isso é possível — e entendeu melhor sobre rodapé e guarnição da porta —, curta nossa página no Facebook para conferir mais dicas como essas!

 

Reforma do Lar: Guia para a escolha do piso perfeito para cada ambient

 

 

Posts relacionados

Deixe uma resposta